segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Baú do Jay - Atomic Rooster



A partir de hoje vou iniciar uma nova sessão aqui no blog intitulada “Baú do Jay”
isso com o intuito de afastar a ignorância musical das pessoas, inclusive para que
todos possam ter mais conhecimento do que realmente é bom.
Em fim vou apresentar preciosidades de minha coleção particular e de alguns
títulos raros que tenho seja em vinil, CD ou mesmo em dvd. Começarei com uma
banda que gosto muito e faz um prog pesado.
Claro que aqui não estarei falando apenas de um estilo ou seguindo uma ordem alfabética mas hoje iniciarei pela letra A com Atomic Rooster.



Em 1970 a banda, que na época contava com (Vincent Crane e Carl Palmer),
lançou o auto intitulado álbum de estréia. Entre a partida de Palmer para o
Emerson, Lake & Palmer e a gravação do segundo álbum, o guitarrista John Cann
entrou na banda, dando nova dimensão a sua música com um distinto som de
guitarra que Cann proporionava. O álbum Death Walks Behind You ainda
contava com Paul Hammond na bateria. Após o sucesso comercial, a banda
contou com o vocalista Peter French em seu terceiro álbum In Hearing Of Atomic
Rooster. Após esse álbum, Cann, Hammond e French deixaram a banda.
Peter French se uniu ao Cactus, enquanto John Cann e Paul Hammond se reuniram
com o ex-baixista do Quatermass John Gustafson para fundar o Hard Stuff.



Vincent Crane reformulou a banda com o ex-vocalista do Colosseum Chris Farlowe,
Johnny Mandala e Ric Parnell, a fim de gravar e lançar Made in England.
A mesma formação ainda lançou, Nice 'n' Greasy, já com uma nova direção
no som, para tristeza dos fãs mais tradicionais. A banda parou temporariamente
até o início da década de 1980, quando Vincent Crane e John Ducann reuniram-se
novamente para novos trabalhos. José Alberto

Nenhum comentário: